domingo, 31 de agosto de 2008

Sobre o dia em que eu fui um Lanterna Verde e sobre a imaginação das crianças.

Oi pessoal, para quem ainda não sabe eu trabalho numa feira ecológica aos sábados pela manhã vendendo produtos orgânicos (não diga... pois digo sim!). Bem, outra coisa que talvez vocês não saibam é minha fascinação por histórias em quadrinhos. Histórias sempre fizeram meus dias passarem mais felizes (ou ao menos suportáveis) e na infância e adolescência eu lia muito histórias em quadrinhos. Primeiro turma da Mônica e quadrinhos Disney, depois os tão famosos super-heróis... Ah, esses sim... Como todo o menino que gosta de gibis eu me imaginava muitas vezes como sendo um dos personagens daquelas histórias, ora eu era o super-homem voando por aí e evitando que misseis destruíssem a cidade, de vez em quando eu era um mutante perseguido por ser diferente... Enfim, imaginação de criança. Mas a imaginação a qual me referi no título desta postagem não é exatamente a minha não mas de outra criança. Pois bem, o caso é que essa minha fascinação por histórias de super-heróis não passou e eu ainda levo muito da criança que eu fui dentro de mim. Num dos dias em que essa criança quis sair para fora e determinar as minhas escolhas eu resolvi comprar uma camiseta com o logotipo de um herói. Bem, o herói escolhido foi o Lanterna Verde (no caso são vários Lanternas mas me refiro ao Hal Jordan...). Bem, a camiseta não vem com anel energético mas já da pro gasto. Tá, mas e a feira? Ok, calma povo, ja chego lá... Certo, essa é umas das minhas roupas favoritas e uma das minhas características mais marcantes é usar aquilo que eu gosto independente do que os outros irão pensar (hum... nada de pijama em entrevista de emprego mas a coisa vai nesse rumo...). Então num dia deses eu fui trabalhar na feira usando a tal camiseta do Lanterna. E sabe aqueles dias que tu está estressado, as pessoas te tratam mal, fim de mês, contas, coisas assim? Pois é, esse era um dia destes. Bem, como sempre eu estava lá esboçando sorirsos e cortesias para todos (afinal, meu dia pode estar sendo ruim mas eu não preciso estragar o dos outros não é?) e então que chegou o pai. E a criança. Pai e filho, fazendo compras na feira, cena comum. Eu já tinha visto um monte de vezes... Mas a diferença é que enquanto o pai estava escolhendo algumas maçãs ecológicas o menino, que deveria ter entre seus seis ou sete anos no máximo, ficou me olhando com uma expressão maravilhada no rosto. Sabe aquela cara que a gente faz quando está vendo um show de mágica? Pois bem, era bem essa mas sem tentar descobrir como se faz o truque... Bem, aí o menino me olhava e eu olhava pra ele pensando o que que eu tinha de tão interessante assim... Foi quando me veio a pergunta: Tio, você é um Lanterna Verde?!? Aham, assim mesmo! Bem, eu sorri e respondi que sim, que eu era um Lanterna Verde. Aí ele arregalou os olhos e olhou para o pai dele e falou: Pai! Pai! Ele é um Lanterna Verde! Nisso ele olhou para mim e perguntou onde estava o meu anel (lembram que eu disse que a roupa vinha sem?), er... bem... Ele está recarregando na bateria! Foi o que me occorreu na ora... E sabem o que aconteceu? Ele acreditou oras! Depois disso a ultima coisa que ele me perguntou foi porque eu estava alí se eu era um super-herói? Desta vez quem respondeu foi o pai dele dizendo que até os super-heróis precisam trabalhar. Eu concordei e disse para o menino sempre obedecer os pais dele e comer as coisas saudáveis que o pai estava comprando naquele dia (e por obviedade nos outros também ou seja.. sempre né!) ou algo assim, não lembro mais... Bem a história termina com eu comentando com o pai da criança o quanto a imaginação dos pequenos é maravilhosa e ele concordando, dizendo que não parava de se surpreender com o prório filho. Nisso eles se foram mas o menino olhava para traz em minha direção com aqueles olhos maravilhados e a expresão mágica ainda em seu rosto...
Então... Nesse dia eu fui um membro da tropa dos Lanternas Verdes. Com muito orgulho!

"No dia mais claro, na noite mais densa..."

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lanterna_Verde

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Sobre as novas não tão novas tecnologias de informação.

Bem... Todos sabemos (ou deveriamos saber) que estamos na era das comunicações. Hoje em dia é possivel conversar com seus parentes lá do interior do estado ou até mesmo outra parte do país, e se você for fundo mesmo no negócio pode fazer amizade com alguém de outro país. Até aí nenhuma novidade pois já podiamos enviar cartas para praticamente qualquer parte do mundo. Demorava mas um dia chegava! A diferença nos tempos atuais é a velocidade dessa comunicação. Veio o e-mail e nós podiamos rapidamente enviar uma correspondência, ainda que eletrônica, para uma pessoa que poderia estar em qualquer lugar no mundo, desde que ela tivesse acesso a internet... Depois a febre do pessoal que é o MSN onde podemos passar horas falando (na verdade teclando...) com alguém sem sairmos da comodidade da nossa casa, com Coca-Cola e tudo. A comunicação é instantânea. Tá, e aí? Qual a novidade? Bem nenhuma, só escrevo isto para falar das minhas experiências com um programa que já está disponível faz algum tempo só que eu não havia usado ainda (ok testei uma vez mas não tinha achado que era o bicho...) o Skype. Puxa! Esse sim é comunicação instantânea! Tu pode conversar (literalmente) com alguém por horas e horas sem perder nada na qualidade de som. O MSN também permite conversas de áudio mas o som é muito ruim mesmo com conexão bem rápida. No Skype o som sai perfeito e sem atraso nenhum na transmissão. E ainda permite chamadas para telefones convencionais! Ok, sei que como o programa não é exatamente novidade isso pode parecer bobagem para alguns mas pense só, ontem não se podia falar com ninguém alem da distância de um grito, hoje eu posso conversar, ainda que em inglês, com uma amiga minha na Grécia! É, em inglês porque eu ainda não to falando grego... Isso sem contar As longas horas de papo que eu tenho com outra amiga da Bahia, e eu estou no Rio Grande do Sul. Isso é uma revolução com certeza. Podemos fazer muito com isso, para o bem e para prejudicar também, é claro.
Bem, é isso. Experimentem o Skype (poe no Google. Vocês vão gostar. Para ele ser perfeito só falta a opção de enviar mensagens offline, nisso o MSN e o antigo ICQ ainda são melhores...
Abraço a todos, kisses and hugs for Stavria and Mandy. Cya!

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Sobre filmes.

Bem... Pra quem ainda não sabe eu não sou um grande cinéfilo... Na verdade eu posso dizer que não sou nada cinéfilo... Porém ultimamente resolvi assistir alguns filmes para ter sobre o que conversar nas rodas de amigos quando o assunto vem a tona...
Sobre o Ilusionista: bah... muito previsível... Detesto filme onde eu já imagino o fim antes do meio dele.... Bons atores sim, mas um roteiro muito previsível. Não quero ofender ninguém mas para mim foi!

Número 23: Ahhhhhhhh! Esse sim! É difícil aparecer uma história que me surpreenda e nesse caso foi exatamente o que aconteceu! Claro, eu poderia ter advinhado o fim mas a história foi tão bem contada e as interpretações são tão boas que fui pego de surpresa com o desfecho. Muito bom! Parabéns ao Jim Carrey, Virginia Madsen e ao diretor Joel Schumacher. Para quem não sabe de que filme eu estou falando de uma olhada aqui:
http://www.netcinema.com.br/numero-23/numero-23-sinopse/

1408: Vale a pena. Se eu não sou fã de filmes sou menos ainda de filmes de horror (um bom suspense eu até encaro...). Esse aqui trata de suspense com uma pitada de terror no melhor estilo Stephen King. A interpretação dos atores é muito boa, as cenas também foram muito bem produzidas. Tudo para te deixar num clima angustiante dentro de um quarto fechado. Muito bom! O final tu já imagina mas a maneira como a história lhe é contada te faz querer ver até o fim. Valeu a indicação pai!
http://www.adorocinema.com.br/filmes/1408/1408.asp

Bom, quando eu falar de filmes tentarei evitar contar a história. posso não ter dado motivos suficientes para qualquer um assistir a esses filmes mas vale a minha indicação. Abraço a todos!

Sobre o curso de Transções Imobiliárias II

Ok, a resposta é simples... Cada um dos meus colegas tem o seu próprio motivo mas o senso comum diz que ser corretor dá grana! Ok, já imaginavamos isso mas ainda assim não explica a razão de sair da sua área e ir para outra. Bem... Muitos deles não pretendem realmente mudar de carreira mas sim ter uma segunda alternativa que lhes permita obter algum ganho. E o motivo de ter escolhido logo este curso é porque muitos tiveram suas próprias experiências com compra e venda de imóveis. Boas e ruins... Expecialmente o pesoal de mais idade, acima dos cinquenta anos...

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Sobre o curso de Transações Imobiliárias.

Bom... Dentro do meu projeto de um novo eu resolvi investir em uma das minhas maiores qualidades: habilidade para vendas. Ok, não consigo vender gelo pra esquimó ou areia para beduíno mas sou bom em convencer os outros a comprar algo (cara de pau eu tenho...) então resolví fazer o curso pra tirar o creci e poder vender imóveis. Tá, mas e o curso? Não vai falar sobre ele? Vou sim. Curso noturno na Escola Técnica da UFRGS, dura um ano e meio. Comecei nesta terça (aham... só postei na sexta, eu sei...) e tenho cerca de 34 colegas, varia de acordo com a aula... Bem, o que mais me chamou atenção foi a quantidade de pessoas com curso superior fazendo um curso técnico! Tem umas 15 pessoas por lá que ja são formadas e dos mais variados cursos. Temos engenheiros civis, pedagogas e até sociólogas! Interessante... Tu faz uma faculdade e resolve ser corretor? Qual o motivo para isso? Falta de vagas no mercado? Encontrou a vocação que não sabia ter? Desespero!? Não sei não... Teria que conversar com cada um para descobrir, isso se me falarem a verdade... Não vejo nada de errado nisso apenas fiquei curioso... Vou tentar falar com o pessoal, depois posto o que descobri. Abraço a todos.

Primeira postagem... Sobre o que falarei?

Ok, vou falar um pouco sobre mim. Estou para fazer 26 anos e só comecei a enxergar o mundo de verdade faz um ano e meio, outra hora falo melhor sobre isso... Pretendo postar as minhas impressões quanto as minhas experiências volta e meia por aqui... Pra quem não me conhece eu sou gaucho e estava cursando biologia na UFRGS mas penso em parar e trocar para psicologia. Bem, no decorrer dos dias falo mais sobre mim ok? Abraço!